Blog de Notícias de TUFILANDIA








Prefeito de Tufilândia substitui casebre por escola digna

O prefeito de Tufilândia, Raimundo Neto, tá longe de ser o melhor prefeito do Brasil. Mas, costuma acertar quando resolve trabalhar pelo povo. Prova disso é a Escola Municipal São Pedro, construída no…

Vice Prefeita Malrinete gralhada é homenageada com placa comemorativa na Assembleia Legislativa do Maranhão.

Vice Prefeita Malrinete Gralhada recebe homenagem da AL do Maranhão.Durante as comemoraçõe s alusivas aos 180 anos de instalação do Poder Legislativo no Maranhão, ocorridas na manhã desta quarta-feira …

Últimas notícias de TUFILANDIA MA:




TUFILANDIA MA tspan:3m TUFILANDIA MA











Siga-nos e receba notícias e assuntos de interesse das cidades

Quando os remédios "clone" vão chegar em TUFILANDIA?

A partir de agora, a indústria farmacêutica que quiser registrar medicamento clone (remédio com a mesma fórmula) terá a garantia de manutenção do preço já praticado no mercado.

O processo de registro para esse tipo de produto na Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) é mais simplificado e sua ampliação permitirá a redução de cerca de 25% na fila de pós-registro.

A análise desses documentos representa 60% da demanda para registros no País. A medida beneficiará o setor, que terá o processo de registro acelerado, e o consumidor, que terá mais opções de marcas e preços disponíveis.

“Essa resolução é muito importante porque já estamos adotando uma maneira mais simplificada para registrar medicamentos clones e faltava uma definição sobre o preço. A análise simplificada para os medicamentos clones representa um ganho de tempo em todas as etapas de registro, com uma redução expressiva da fila”, destacou o ministro da Saúde, Arthur Chioro.

Manutenção do preço

O diretor-presidente da Anvisa, Jaime Oliveira, explica que é fundamental sinalizar ao setor a manutenção do preço para dar segurança ao pedido de registro do produto na categoria clone.

A resolução da Câmara de Regulação do Mercado de Medicamentos (CMED) sobre a precificação de medicamentos clone será publicada no Diário Oficial da União. A ação voltada ao setor farmacêutico foi anunciada pelo Ministério da Saúde e Anvisa.

Essa medida vem complementar a Resolução de Diretoria Colegiada (RDC) 31/2014 da Anvisa, que passou a autorizar que medicamentos novos ou não, que têm comprovadamente a mesma matriz (princípios ativos, concentração, via de administração, posologia e indicação terapêutica) de uma droga já registrada e comercializada, possam ser enquadrados como ‘medicamento clone’.

Mudanças

O maior impacto da medida será no pós-registro, fase em que a indústria já possui medicamentos e preços registrados na Anvisa e quer reclassificá-los, passando-os de medicamento não clone para clone.

Atualmente, cerca de 60% da demanda da Gerencia Geral de Medicamentos da Anvisa está no pós-registro. Um terço dos pedidos (629) aguarda para serem registrados como ‘clone’.

Mercado

A Resolução da CMED prevê três situações que garante a precificação dos medicamentos, caso o fabricante opte por trabalhar com os clones. No primeiro caso, o medicamento não clone já é comercializado. Nessa situação, haverá uma troca do número de registro do medicamento para adequação à RDC 31/2014 e será mantido o preço anteriormente aprovado para o laboratório.

No segundo caso, o medicamento entra no mercado como um fármaco novo ou nova apresentação e, por isso, segue normalmente as regras gerais de preços estabelecidos pelos critérios da Resolução CMED N°2/2004.

A terceira situação trata do produto criado a partir da transferência de tecnologia entre laboratórios públicos e privados, por meio das Parcerias de Desenvolvimento Produtivo (PDP) e outras formas de transferência de tecnologia – em que o medicamento clone terá o mesmo preço praticado pela matriz. [16]




Testemunhas de Jeová de TUFILANDIA estão a par de todos esses casos divulgados na Wikipedia e em respeitados meios internacionais?

Denúncias

Críticos como a Silentlambs acusaram as Testemunhas de Jeová de empregar políticas organizacionais que tornam a denúncia de abuso sexual difícil aos membros. Algumas vítimas de abuso sexual por parte de membros das Testemunhas de Jeová afirmaram que, ao tentarem reportar abuso sexual, foram obrigados a manter silêncio pelos anciões locais para evitar envergonhar a organização e os acusados. 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13

A política oficial da religião, contudo, diz que todos os anciãos devem obedecer todos os requisitos legais de denúncia de abuso sexual. Casos de pedofilia e abuso de crianças nas testemunhas de Jeová culminaram com prisões de anciãos. Um ancião (pastor) foi acusado de jogar “strip poker” com as vítimas. 14 Em 2007, a agência de informações oficiais das Testemunhas de Jeová afirmou que apenas existiram 11 casos de pedofilia entre os anciãos, e que de todos os processos movidos contra a Sociedade (13, no total), apenas 5 haviam sido decididos de forma não favorável à organização (embora os pedófilos normalmente sejam punidos). Novos casos de pedofilia, contudo, surgem continuamente na religião. Em pelo menos nove casos de abuso por anciãos, até 2007, a Sociedade Torre de Vigia pagou às vítimas para encerrar o caso, visando não sofrer uma ação judicial. 15 De acordo com a NBC, a quantia paga às vítimas em apenas um dos caso deve ter girado em torno de 780 mil dólares, e a Torre de Vigia tinha conhecimento dos casos de abuso. 16

Casos relevantes publicados na mídia e denunciados às autoridades

Jornal The New York Times relata história de ancião (pastor) das Testemunhas de Jeová que foi expulso da organização por tentar denunciar casos de abuso sexual infantil

A notícia foi publicada em 11 de Agosto de 2002 no jornal norte-americano The New York Times. 17

O artigo narra brevemente a história de William Bill Bowen, que sempre se considerou uma Testemunha de Jeová devota. Quando criança, sentia ser sua obrigação ir de porta em porta passando adiante a revista da igreja, conhecida como A Sentinela. Mais tarde, como um ancião (pastor) da sua congregação no Kentucky, ele disse que achava ser sua obrigação informar aos oficiais da igreja que um co-pastor havia abusado de uma criança. 17 Quando o Sr. Bowen contatou os escritórios centrais da Sociedade Torre de Vigia em Brooklyn, ele afirma ter sido rechaçado. Frustrado pela falta de ação e pelas diretrizes de confidencialidade da igreja que, segundo ele, o impediam de compartilhar o que sabia com outras pessoas, o Sr. Bowen renunciou ao cargo de ancião (pastor) em dezembro de 2000. Um ano mais tarde ele começou um grupo para monitorar o abuso sexual de crianças na igreja. 17

No final do mês passado, o Sr. Bowen foi excomungado da igreja. Por trás de uma porta fechada, com sacos plásticos colocados sobre as janelas para, segundo ele disse, repelir os espectadores, três anciãos da igreja se encontraram no Salão do Reino de Draffenville, Kentucky, declarando-o culpado de "causar pisões". 17

De acordo com a notícia, a punição foi a "desassociação", o banimento completo. 17

Igreja das Testemunhas de Jeová acusada de encobrir crimes sexuais

No dia 4 de Fevereiro de 2014, foi publicada matéria 18 no Jornal McAlester News-Capital, do estado de Oklahoma, EUA, em que um promotor publico do 18º Distrito Judicial 19 em Oklahoma, apresentou uma moção alegando que a organização das Testemunhas de Jeová, mais especificamente o Corpo Governante das Testemunhas de Jeová (órgão central que tem a responsabilidade de coordenar e promover a obra das Testemunhas de Jeová no mundo), estão envolvidos em esconder crimes de abuso de menores. 18

Em novembro de 2013, Ronald Lawrence de 76 anos foi acusado na Corte Distrital do Condado de Pittsburg com 19 acusações, incluindo 11 de abuso sexual lascivo, sete de sodomia forçada e uma acusação de estupro por instrumentação. 18 As supostas vítimas nos casos eram duas meninas pré-adolescentes e um menino de 5 anos de idade na época.

Lawrence foi preso pela polícia McAlester depois que três pessoas se apresentaram no ano passado, alegando que tinham sido molestadas há cerca de 30 anos. 18 Um depoimento do caso relata que uma mulher foi molestada dos 8 até os 13 anos de idade. Uma segunda mulher alegou que foi molestada por Lawrence entre 10 e 13 anos, e um homem alegou que foi molestado aos cinco anos de idade. 18 De acordo com a polícia, Ronald era um Ancião (terminologia própria das Testemunhas de Jeová para designar um Pastor) na Igreja das Testemunha de Jeová à época dos abusos. 18 O sargento Chris Morris complementou: "Ele não é mais um ancião, mas ele ainda é um membro da igreja".

No depoimento, Lawrence afirma que confessou às autoridades de sua igreja os casos de pedofilia e deu o nome dos quatro Anciãos (Pastores) das Testemunhas de Jeová que, segundo ele, estavam cientes de alguns dos incidentes. 18 O promotor público 19 que fez a denúncia alegou que as lideranças das Testemunhas de Jeová impediram que as vítimas denunciassem os abusos sexuais para manter a "boa" imagem da igreja perante a sociedade. 18 Lawrence foi libertado da prisão em 24 de novembro depois de pagar uma fiança de US $ 50.000, tendo como restrição não ter contato com nenhuma das supostas vítimas do caso. Se condenado, ele pode pegar prisão perpétua. 18

Mulher acusa membro de congregação das Testemunhas de Jeová em Lorain, Ohio, EUA, de abuso sexual

O Jornal ABC Newsnet Cleveland publicou no dia 31 de Julho de 2013 20 o relato de uma ex-membro da congregação oeste das Testemunhas de Jeová em Lorain, Ohio, EUA, que entrou com uma ação contra a congregação, alegando que ela foi abusada sexualmente por um dos líderes da igreja. 20

“Quero expor como eles tratam as crianças e como eles não as protegem”, disse Elizabeth McFarland, 26 anos, em uma coletiva de imprensa em Cleveland. McFarland afirma que Scott Silvasy, que serviu como um “servo ministerial”, 20 ganhou a confiança dela. Logo após, ela foi abusada sexualmente por cinco anos, começando quando ela tinha 9 anos de idade. 20 Ela disse que Silvasy cometeu suicídio em seu 16o aniversário.

Seu advogado, Irwin Zalkin, de San Diego, disse que os anciãos (pastores) da igreja não fizeram nada quando souberam do abuso. 20 “As Testemunhas de Jeová acreditam no que é chamado “a regra bíblica das duas testemunhas””, disse Zalkin. 13 20 ”De acordo com a regra bíblica das Duas Testemunhas, a menos que o autor confessa ou, alternativamente, há duas testemunhas oculares do abuso, eles não podem fazer nada sobre isso.” 20

McFarland, que reside em West Virginia, disse que ela estava desassociada cerca de oito meses depois que ela relatou os abusos aos anciãos (pastores). 20 Sua família em Lorain ainda ainda tem membros ativos na congregação. 20 “Na minha própria maneira de entender, estou em paz com o que aconteceu”, disse ela. ”Eu não iria tão longe para dizer que eu o perdoei por aquilo que ele fez.” 20 Willie Walker, um dos anciãos da congregação, não quis comentar quando contatado pela equipe do NewsChannel5. 20

Testemunhas de Jeová condenadas a pagar mais de 20 milhões de dólares a mulher que afirma ter sido abusada sexualmente

A conhecida rede de notícias norte-americana NBC News divulgou no dia 15 de Junho de 2012 o relato de uma ex-membro da igreja das Testemunhas de Jeová, Candace Conti, que processou a Sociedade Torre de Vigia (entidade legal que representa as Testemunhas de Jeová) nos EUA, por sofrer abusos sexuais desde que tinha nove anos de idade. 2 4 5 21 A decisão do júri levou em conta que os anciãos (pastores) da congregação (seguindo orientações da Sociedade Torre de Vigia 1 foram corresponsáveis pelos abusos ao esconder o pedófilo Jonathan Kendrick, que já havia cometido outro crime de pedofilia, 8 21 ou seja, fizeram a política de esconder o abuso para não "manchar" a imagem da igreja. 8

O processo alegou que a Torre de Vigia tem uma política que instrui os anciãos (pastores) nas congregações das Testemunhas de Jeová a manterem relatórios de abusadores sexuais de crianças em sigilo para evitar ações judiciais. 1 8 21

A vítima dos abusos (Candace Conti) teve em mente dois objetivos com essa ação: "O principal objetivo era ter uma mudança na política de esconder pedófilos, pois protegeria outras crianças desses abusadores. 8 Em segundo lugar, para estimular mais pessoas a saírem de seu silêncio e denunciarem mais casos". 1 2 4 5 21

O advogado das Testemunhas de Jeová se disse surpreso com o veredito, que obriga a denominação religiosa a pagar 27 milhões de dólares 2 4 5 21 e disse que pretende recorrer. Deve-se ter em mente que o que está sendo julgado é a política de encobrimento de pedófilos, 1 8 21 que muitas igrejas usam para não sofrerem processos judiciais ou terem sua imagem "arranhada" perante a sociedade. As Testemunhas de Jeová (enquanto denominação religiosa) não incentivam a pedofilia em suas doutrinas, mas ao serem omissas e preferirem não denunciar se tornam corresponsáveis nesses abusos em suas congregações. 8 21

Equipe 10 da ABC News (EUA) obtém vídeo de um ancião (pastor) das Testemunhas de Jeová que confessou abuso sexual de criança

Em 2013, no dia 07 de Julho, A Equipe 10 da rede norte-americana ABC News obteve um vídeo que ajuda a provar que as Testemunhas de Jeová encobriram o abuso de crianças por anos. 22

Em um depoimento-vídeo feito em 2011, durante uma ação civil, o pedófilo em série Gonzalo Campos admitiu ter abusado de várias crianças 22 em sua congregação San Diego desde o início dos anos 1980 até meados dos anos 90. "Eu o abusei", disse Campos no vídeo. "Eu toquei suas partes íntimas." 22 Suas admissões em câmera e um acordo confidencial avaliado em milhões de dólares terá que ser suficiente para suas vítimas. As Testemunhas de Jeová nunca contaram à polícia sobre Campos, que era um ancião da igreja. 22 Ele nunca foi acusado de um crime e nunca viu o interior de uma cela de prisão. Ele fugiu do país e agora está no México. E ele ainda é um membro das Testemunhas de Jeová. 22

Um advogado fez algumas perguntas a Campos no vídeo divulgado: "Você estava autorizado a continuar o estudo da Bíblia com crianças depois que você tentou tocar (a vítima ) inapropriadamente?" 22 "Sim", disse Campos. 22 Irwin Zalkin representa as sete vítimas que se apresentaram. "Ele é um pedófilo em série", disse Zalkin. "Trata-se de prestação de contas. Trata-se de assumir a responsabilidade. É sobre a proteção das crianças. Trata-se de mudar a forma como operam."

As alegações de Zalkin de abuso sexual infantil continuam no interior da comunidade das Testemunhas de Jeová. Ele afirma que os líderes da igreja, conhecidos como anciãos, e a sede Testemunha de Jeová, conhecida como Torre de Vigia, tratam o abuso de criança como um pecado em vez de um crime. 1 22 "Os anciãos são instruídos a relatar os casos aos níveis hierárquicos mais altos da Sociedade Torre de Vigia, antes de informar às autoridades ou não", 1 22 disse Zalkin . "É a Torre de Vigia quem vai decidir o que fazer." 1 8

A Equipe 10 descobriu que a Sociedade Torre de Vigia enviou a cada congregação e os seus anciãos vários memorandos confidenciais sobre como lidar com o abuso de crianças, a partir de 1989. 1 22 Os memorandos originais advertem para "ter cuidado para não divulgar informações sobre assuntos pessoais", citando a Bíblia, que diz que há "tempo para ficar quieto". 22 Outro memorando de outubro 2012 delineia a política atual da igreja . 1 Diz para os anciãos "chamarem o departamento jurídico" e "entrarem em contato com o Superintendente (Supervisor)...". Ela (Torre de Vigia) diz, "anciãos amorosos devem tomar medidas para proteger as crianças, especialmente quando ... aquele que abusou sexualmente de uma criança ... será mantido como membro... " 1 22

Jim McCabe é o advogado das Testemunhas de Jeová. Ele explicou como a igreja lida atualmente com acusações de abuso. "Hoje, sempre que há uma acusação de abuso infantil e uma congregação local descobre o caso, eles chamam a sede e obtém instruções", disse McCabe . 1 22 A Equipe 10 descobriu que Campos ainda é um membro da igreja Testemunhas de Jeová, 22 e que vive no México, mas McCabe diz que ele não tem permissão para manter uma posição de liderança dentro da igreja. A equipe 10 descobriu também que Campos é apenas um dos milhares de alegados abusadores Testemunhas de Jeová conhecidos. 22

Um banco de dados que detalha mais de 23 mil denúncias de abuso foi descoberto na sede da igreja e revelado ao público em 2002. 22 Quando a Equipe 10 perguntou a McCabe se a igreja sempre relata as alegações de abuso à polícia, ele respondeu que não. "Sob a lei bíblica, um homem só pode ser condenado pelo depoimento de duas ou mais testemunhas", disse McCabe . 1 22 McCabe é Testemunha de Jeová e ancião de sua igreja em La Jolla. Ele disse que as Testemunhas de Jeová sempre relataram denúncias de abuso à polícia, quando exigido por lei. Tornou-se lei na Califórnia, em 1997. "O nosso problema é que existem alguns homens maus que se infiltram nas organizações", disse McCabe . "Eles sorrateiramente entram na nossa organização e em outras organizações.”

A Equipe 10 perguntou se Zalkin acredita que os problemas de abuso sexual dentro de Testemunhas de Jeová são amplamente conhecidos. "Não, não são, e precisam ser trazidos à atenção do público", disse Zalkin . "Eles têm operado em sigilo e à vontade durante décadas." 8 22 "Gostaríamos de poder desfazer o que foi feito, mas não podemos", disse McCabe . Zalkin disse que planeja apresentar mais ações judiciais contra as Testemunhas de Jeová em breve. 22

Alguns desses casos resultam de outro suposto abuso em San Diego. 22

Testemunha de Jeová é sentenciada a pena de 30 anos por abuso sexual

A rede norte-americana NBC divulgou em 17 de Agosto de 2013 uma reportagem com vídeo mostrando um auxiliar de congregação das Testemunhas de Jeová em Los Angeles. Ele foi condenado a 30 anos de prisão por abusar sexualmente de três meninos que ele conheceu naquela cidade. 23

Os promotores dizem que Marcelo Lozano, 34 anos, foi condenado e deve ser registrado como criminoso sexual. No último mês, ele não contestou as duas acusações de abuso sexual e uma acusação de sexo oral com uma pessoa de idade inferior a 14 anos. 23 Lozano conheceu os meninos, que variaram na faixa etária de 8 a 11 anos de idade, através das Testemunhas de Jeová na congregação de língua espanhola de Sun Valley, onde ele era um auxiliar. 23 Os crimes remontam a 2006 e alguns ocorreram na casa de Lozano em San Fernando Valley. Nada aconteceu no Salão do Reino das Testemunhas de Jeová. 23

Ver também

  • Testemunhas de Jeová
  • Sociedade Torre de Vigia de Bíblias e Tratados
  • Críticas às Testemunhas de Jeová
  • Posições controversas das Testemunhas de Jeová

Referências

  1. ? a b c d e f g h i j k l m Congregação Cristã das Testemunhas de Jeová. "Ref.: Abuso de crianças". Carta a Todos os Corpos De Anciãos. 1 de Outubro de 2012. Trechos da carta: Assim, quando os anciãos tomam conhecimento de uma acusação de abuso de menores, dois anciãos da vossa congregação devem telefonar imediatamente para o Departamento Jurídico solicitando aconselhamento legal...Informações sobre alguém acusado de molestar crianças, quer isso tenha sido provado, quer não, devem ser colocadas no arquivo confidencial da congregação e guardadas por tempo indefinido, com a anotação <>... No entanto, apesar de não estarem autorizados a tomar ação congregacional se houver só uma testemunha, os anciãos devem continuar atentos à conduta e ao comportamento do acusado... Se a pessoa não se arrepender do seu grave pecado, deverá ser desassociada. Se a decisão for repreender, a repreensão deverá ser anunciada. (ks10 cap. 7 § 20, segundo item)... O Departamento Jurídico fornecer-lhes-á orientação legal com base nos factos e nas leis que se aplicarem... Nesse caso, e somente depois de receberem orientação e instruções do Departamento de Serviço, dois anciãos deverão ser designados para se reunirem com os pais de filhos menores.
  2. ? a b c d Vítima de abusos ganha 22 milhões (em português) cmjornal.xl.pt (20/06/2012). Visitado em 14 de fevereiro de 2014.
  3. ? Testemunha de Jeová violou mais de 40 anos (em português) www.destak.pt (31/03/2010). Visitado em 14 de fevereiro de 2014.
  4. ? a b c d Woman molested by Jehovahs Witnesses member at age NINE wins $28million in Americas BIGGEST religious sex abuse payout (em inglês) dailymail.co.uk (17/06/2012). Visitado em 14 de fevereiro de 2014.
  5. ? a b c d Candace Conti Awarded $28M In Jehovahs Witness Sex Abuse Case (em inglês) huffingtonpost.com (16/06/2012). Visitado em 14 de fevereiro de 2014.
  6. ? Watchtower Ousts Victims, Whistle-Blowers (em inglês) ctlibrary.com (08/07/2002). Visitado em 14 de fevereiro de 2014.
  7. ? Witness To Shame (em inglês) newsweek.com (23/06/2002). Visitado em 14 de fevereiro de 2014.
  8. ? a b c d e f g h i Secret database protects paedophiles (em inglês) bbc.co.uk. Visitado em 14 de fevereiro de 2014.
  9. ? New Allegations Of A Church Keeping Quiet About Child Sexual Abuse (em inglês) komonews.com (05/07/2002). Visitado em 14 de fevereiro de 2014.
  10. ? Child abuse policy (em inglês) bbc.co.uk. Visitado em 14 de fevereiro de 2014.
  11. ? Suffer the little children (em inglês) bbc.co.uk. Visitado em 14 de fevereiro de 2014.
  12. ? Sex abuse victims target Jehovah’s Witness in civil suit (em inglês) religionnewsblog.com (14/04/2004). Visitado em 14 de fevereiro de 2014.
  13. ? a b Lisa Myers e Richard Greenberg (21/11/2007). New Evidence in Jehovah’s Witness allegations (em inglês) nbcnews.com/. Visitado em 21 de Fevereiro de 2014.
  14. ? Church Elder accused of sex with teen, 11/04/2010 (em inglês).
  15. ? New evidence in J.W. allegations (em português).
  16. ? NBC: Jehovahs Witnesses child sexual abuse (em português).
  17. ? a b c d e Laurie Goodstein (11/08/2002). Ousted Members Contend Jehovahs Witnesses Abuse Policy Hides Offenses (em inglês). Visitado em 25 de Fevereiro de 2014.
  18. ? a b c d e f g h i Jeanne LeFlore (04/02/2014). DA: Jehovah Witness Church concealed molestation crimes (em inglês). Visitado em 20 de Fevereiro de 2014.
  19. ? a b 18th Judicial District Attorneys Office. Visitado em 20 de Fevereiro de 2014.
  20. ? a b c d e f g h i j k Deb Lee (31/07/2013). Woman accuses member of West Congregation of Jehovahs Witnesses in Lorain of sexual abuse (em inglês). Visitado em 21 de Fevereiro de 2014.
  21. ? a b c d e f g James Eng (15/06/2012). Jehovahs Witnesses ordered to pay more than $20 million to woman who said she was sexually abused (em inglês). Visitado em 21 de Fevereiro de 2014.
  22. ? a b c d e f g h i j k l m n o p q r s t Mitch Blacher (07/07/2013). Team 10 obtains video of admitted child molester in Jehovahs Witnesses (em inglês). Visitado em 23 de Fevereiro de 2014.
  23. ? a b c d Beverly White (17/08/2013). More Child Victims Sought in Church Ushers Sex Assault Case (em inglês). Visitado em 25 de Fevereiro de 2014.

[31]



Prefeito de Tufilândia substitui casebre por escola digna


O prefeito de Tufilândia, Raimundo Neto, tá longe de ser o melhor prefeito do Brasil. Mas, costuma acertar quando resolve trabalhar pelo povo. Prova disso é a Escola Municipal São Pedro, construída no…



Vice Prefeita Malrinete gralhada é homenageada com placa comemorativa na Assembleia Legislativa do Maranhão.


Vice Prefeita Malrinete Gralhada recebe homenagem da AL do Maranhão.Durante as comemoraçõe s alusivas aos 180 anos de instalação do Poder Legislativo no Maranhão, ocorridas na manhã desta quarta-feira …

Um serviço para ajudar os que sofrem com as drogas em TUFILANDIA?

O serviço de teleatendimento do Ligue 132, que presta auxílio a familiares e usuários de drogas, teve aumento de 13% das ligações relacionadas à cocaína e derivados, como o crack, em 2014. Das 26.051 ligações atendidas no call center de janeiro a novembro de 2014, 12.189 foram relacionadas a cocaína e crack, o que representa 46% dos atendimentos realizados no ano. Em 2013, esse volume foi de 33%.

Esta é a maior busca de informação sobre uma substância já registrada no serviço, que está em atividade desde 2005. De acordo com a supervisora do Ligue 132, Bárbara Diniz, esse aumento pode ser em função da expressiva divulgação referente aos problemas do uso de cocaína e derivados na mídia. “Muitos ligam pedindo informações a respeito das consequências do uso e aproveitam para aumentar a rede de apoio em busca de tratamento. Às vezes o indivíduo é orientado a também buscar auxílio profissional para outras comorbidades apresentadas, como depressão, ansiedade e entre outros.”

Para atender a esses casos específicos, o Ligue 132 desenvolveu uma metodologia própria, com apoio aos indivíduos tornando cada atendimento único. De acordo com a coordenadora de pesquisa do Ligue 132, Maristela Ferigolo, quem procurar orientações pelo Ligue 132 poderá encontrar atendimento personalizado. “Com profissionais capacitados, o serviço se preocupa em ouvir tanto o usuário quanto o familiar e presta aconselhamento personalizado por meio da intervenção breve motivacional estimulando-os a refletir e mudar seu comportamento-problema.”

Para a coordenadora do programa, Helena Maria Tannhauser Barros, “o aumento na busca de orientações e informações sobre cocaína e crack não significa que houve aumento no uso e, sim, que usuários de drogas e familiares estão mais conscientizados quanto aos problemas do uso de cocaína e quanto a possibilidade de obter auxílio para a mudança de comportamento”,

Os estados que mais buscaram informações e orientações sobre cocaína foram São Paulo, com 2.056 atendimentos, Rio de Janeiro, com 1.028, e Rio Grande do Sul, com 993. Os usuários de drogas foram quem mais buscaram ajuda no Ligue 132, sendo responsáveis por 47% dos atendimentos referentes à cocaína. Os familiares também tiveram uma fatia considerável com 44% dos atendimentos.

Saiba mais sobre o Ligue 132

O Ligue 132 é um serviço do programa “Crack, é possível vencer”, financiado pelo Governo Federal, que tem como objetivo prevenir o uso de drogas no país, atendendo a casos de álcool, tabaco, cocaína, maconha e entre outras substâncias. É uma parceria com a Secretaria Nacional de Políticas sobre Drogas, Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre e AMTEPA. O serviço atende de forma sigilosa e anônima 24 horas por dia, incluindo feriados e finais de semana. [24]


Uma grande mudança no setor de embalagens. Como isso afeta TUFILANDIA ?

Por: Cristina Ávila - Edição: Vicente Tardin

A análise jurídica do texto do acordo setorial para a implantação do sistema de logística reversa de "embalagens em geral" deverá estar pronta nos próximos dias, e em seguida seguirá para o chamado “grupo de coalizão”, como se autodenominam as 22 associações que representam comércio, indústria e distribuidores de produtos domésticos, como alimentos e bebidas. O setor deverá voltar a discutir a redação ainda em fevereiro.

“Essa nova discussão será muito importante para finalizar esse acordo setorial. Os próximos dias serão decisivos para as negociações com os setores que devem cumprir a logística reversa”, acentua a diretora de Ambiente Urbano do MMA, Zilda Veloso.

O texto do acordo foi submetido à consulta pública, entre 15 de setembro e 15 de outubro do ano passado, e foram recebidas mais de 900 sugestões de alterações. A intensa participação trouxe opiniões de representantes de municípios, recicladores, órgãos ambientais e sociedade civil.

“Essencialmente, o Ministério do Meio Ambiente media as negociações para que seja feita a separação de materiais seco e orgânico, a redução de resíduos e o encaminhamento de embalagens para o mercado de reciclagem”, explica Zilda.

Atingir essa meta é um bom negócio em todos os sentidos. A diretora comenta que no Brasil cerca de 50% do descarte é lixo orgânico, 35% lixo seco e os outros 15% são outros materiais, incluindo os rejeitos (que não têm possibilidade de reciclagem, ou por questões técnicas ou econômicas de cada região). Do lixo seco, cerca de 70% são embalagens.

SUCESSO

Esse será o terceiro acordo setorial definido entre as cinco cadeias produtivas que serão responsáveis pela logística reversa prevista pela Política Nacional de Resíduos Sólidos (Lei 12.305/10). As cinco cadeias foram definidas pelo Comitê Orientador da Logística Reversa (Cori), composto pelos Ministérios do Meio Ambiente, Fazenda, Indústria e Comércio, Saúde e Agricultura.

No ano passado, o setor privado assinou contrato para a destinação de lâmpadas. E o acordo para o correto descarte de embalagens de lubrificantes já está funcionando na prática. Em 2005, o setor criou uma entidade gestora, que cresceu e se transformou no Instituto Jogue Limpo. Hoje presente em 14 estados e no Distrito Federal, já supera 330 milhões de embalagens encaminhadas para reciclagem.

PRÓXIMOS PASSOS

As expectativas a partir de agora serão os acordos dos setores de medicamentos e de eletroeletrônicos. Importadores, fabricantes e o comércio varejista de remédios estão em negociação e devem apresentar propostas no início deste ano. E o setor de eletroeletrônicos apresentou reivindicações que ainda estão sendo analisadas.

“Depois que concluirmos esses acordos, passaremos a rever os acordos que foram feitas por outras cadeias produtivas, antes da Lei 12.305”, afirma Zilda Veloso. Ela se refere aos setores de agrotóxicos, pneus, lubrificantes, pilhas e baterias.

A diretora de Ambiente Urbano comenta que o setor de agrotóxicos consegue recolher mais de 94% das embalagens que são colocadas pela indústria no comércio. Fato que ela considera inédito no mundo. A “Lei dos Agrotóxicos” (Lei 7.802/89) foi sancionada em 1989, e em 2000 foi alterada para incluir a obrigação de reciclagem de embalagens. Até então os agricultores enterravam, queimavam, jogavam nos rios ou nas lavouras, com riscos para o meio ambiente e para a saúde.[12]



*blogsbrasil.com - todos os direitos reservados. Selecionamos as principais notícias da cidade de TUFILANDIA MA. Os acontecimentos políticos, acidentes de trânsito nas rodovias, fatos do centro, dos bairros e do interior. Pesquisamos também os jornais locais e as redes sociais, bem como o site da prefeitura. O trabalho jornalístico consiste em captação e tratamento escrito, oral, visual ou gráfico, da informação em qualquer uma de suas formas e variedades. O trabalho é normalmente dividido em quatro etapas distintas, cada qual com suas funções e particularidades: pauta, apuração, redação e edição.A pauta é a seleção dos assuntos que serão abordados. É a etapa de escolha sobre quais indícios ou sugestões devem ser considerados para a publicação final. A apuração é o processo de averiguar informação em estado bruto (dados, nomes, números etc.). A apuração é feita com documentos e pessoas que fornecem informações, chamadas de fontes. A interação de jornalistas com suas fontes envolve freqüentemente questões de confidencialidade.A redação é o tratamento das informações apuradas em forma de texto verbal. Pode resultar num texto para ser impresso (em jornais, revistas e sites) ou lido em voz alta (no rádio, na TV e no cinema). A edição é a finalização do material redigido em produto de comunicação, hierarquizando e coordenando o conteúdo de informações na forma final em que será apresentado. Muitas vezes, é a edição que confere sentido geral às informações coletadas nas etapas anteriores. No jornalismo impresso (jornais e revistas), a edição consiste em revisar e cortar textos de acordo com o espaço de impressão pré-definido. A diagramação é a disposição gráfica do conteúdo e faz parte da edição de impressos. No radiojornalismo, editar significa cortar e justapor trechos sonoros junto a textos de locução, o que no telejornalismo ganha o adicional da edição de imagens em movimento. Tags: Últimas Notícias, TUFILANDIA MA, Cidade, Interior, Segunda, Terça, Quarta, Quinta, Sexta, Sábado, Domingo, Carro, Eleições, Crime, Estrada, Rodovia, Acesso, Greve, Eleições, Festa, Granizo, Chuva, Enchente,Aniversário, Prêmio, Mês, Fim de Semana, Hoje, Ontem, Anteontem, Hora, Pouco Tempo, Agora, Mulher, Homem, Família, Criança, Portal,Pessoas, Como saber, Site, Blog, Diário,Protesto,Inauguração, Cassação, Cassado, Show, Apresentação, Espetáculo, Fotos, Vídeos, Imagens, Previsão, Caminhão, Vítimas, Situação, Oposição, Eleições, Enquete, Votos, Apuração, Trânsito, Operação, PF, Delegacia, Praia, Localidade, Animais, Ver Fotos, NEWS LATEST LOCAL NEWSPAPPER.