Blog de Notícias de CANOINHAS








Florianópolis dividida: lei de 1877 tornou o Norte da Ilha de Santa Catarina outro município

Hoje destino turístico tradicional, buscado por até 800 mil pessoas neste verão, o Norte da Ilha de Santa Catarina abrigou um município ... Sem estradas, a canoa e o carro de boi eram os principais meios de transporte. Alguns também se utilizavam ...

Acordo judicial prevê desocupação amigável de área ocupada pelo MST

o Ministério Público de Santa Catarina (MPSC) e o Judiciário na sala de audências das 1ª Vara Cível da Comarca de Canoinhas. O acordo, homologado pelo Juiz Agrário Juliano Serpa, prevê a desocupação do local até o dia 30 de setembro de 2015.

Van com passageiros de São Mateus do Sul sofre acidente em Mafra SC

Uma Van Srinter carregada com passageiros,da localidade de São Mateus do Sul se envolveu em um acidente na noite desta segunda feira 30 na BR 116 em Mafra Santa Catarina Segundo informações a Van colidiu…

Diretoria do CSE apresenta meia que estava jogando no futebol paraibano

Revelado pelo Santa Cruz-PE, o atleta andamentou também por Treze-PB, Salgueiro-PE, Cabense-PE, Chã Grande-PE, Ypiranga-PE, Jaguar-PE e Canoinhas-SC. Em Alagoas, o meia já atuou com camisa do CEO no Estadual de 2014. Thiago é o sexto reforço do CSE para o ...

Leilão em Joinville atrai mais de 600 pessoas

Florianópolis (26.03.2015) – A Comissão Estadual de Leilão do Detran/SC realizou nesta quarta-feira, 25, em Joinville, o quartoleilão do ano, com um recorde de público em 2015. Mais de 600 pessoas c…

PM de Santa Catarina fecha prazo de inscrição em concurso com 658 vagas

A Polícia Militar do Estado de Santa Catarina finaliza, nesta terça-feira ... A prova teórica deve acontecer nas localidades de Balneário Camboriú, Blumenau, Canoinhas, Chapecó, Criciúma, Florianópolis, Joaçaba, Joinville, Lages, Rio do Sul, São ...

Marcílio em fotos

"De todos os meios de expressão, a fotografia é o único que fixa para sempre o instante preciso e transitório. Nós, fotógrafos, lidamos com coisas que estão continuamente desaparecendo e, uma vez de…

Professores de Canoinhas participam de manifestação em Florianópolis

Um grupo de professores participou da assembleia dos professores em Florianópolis promovida pelo Sinte- Sindicato dos Trabalhadores em Educação de Santa Catarina. Logo após a assembleia o grupo partic…

Ministra da Agricultura apoia proposta da FAESC para criação de núcleo de pesquisa da pecuária em SC

A ministra Kátia Abreu, da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, apóia proposta da Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Santa Catarina (Faesc) para a instalação de um núcleo de pesquisas …

ADC/CANOINHAS VENCE NA ESTREIA DA COPA SANTA CATARINA

ADC/Canoinhas e Araquari abriram a primeira rodada da Chave A da Copa Santa Catarina. A partida foi bem disputada com destaque para o goleiro Cauê do Araquari. A equipe de Araquari estava desfalcada e…

Cervejas artesanais ganham espaço em roteiros turísticos

A qualidade e o sabor de inúmeras cervejarias artesanais brasileiras ganharam fama e prestígio internacional. O desafio agora é incluir estas propriedades nos roteiros turísticos brasileiros, a exempl…

Por favor, não se compare: Sou da época em que manifestante era preso, diz Dilma - TV UOL

Sou da época em que manifestante era preso, diz Dilma ************************* Oliver: ‘Presidente baioneta’ VLADY OLIVER _ Coluna do Augusto Nunes - Veja OnlineO energúmeno tem um imenso complexo d…

Protestos contra a Presidente Dilma Rousseff e o PT estão marcados para esse domingo em todo Brasil

Mais de 50 cidades do Brasil, estão participando do protesto contra a Presidenta Dilma Rousseff. O Protesto em Mossoró acontece na tarde deste domingo (15), o inicio será na  Praç a em frente ao colégi…

Últimas notícias de CANOINHAS SC:

 PM de Santa Catarina fecha prazo de inscrição em concurso com 658 vagas A Polícia Militar do Estado de Santa Catarina finaliza, nesta terça-feira ... A prova teórica deve acontecer nas localidades de Balneário Camboriú, Blumenau, Canoinhas, Chapecó, Criciúma, Florianópolis, Joaçaba, Joinville, Lages, Rio do Sul, São ...

Carga de crack é apreendida e três homens são presos em Canoinhas Três homens foram presos e cinco quilos de crack foram apreendidos em Canoinhas, no Planalto Norte catarinense, na madrugada desta segunda-feira. A ação faz parte de uma operação conjunta deflagrada pela Polícia Federal, Delegacia de Combate às ...

CANOINHAS SC tspan:3m CANOINHAS SC


Espera por perícia médica chega a 103 dias no INSS de Joinville De acordo com o INSS, no ano passado foram recebidas 233 solicitaçõe s de agendamento por dia na regional de Joinville (que abrange também os municípios de Canoinhas ... “Joinville é a maior localidade de Santa Catarina e tem uma grande quantidade ...

Araquari Futsal ganha de goleada do ADC Canoinhas Jogo aconteceu neste sábado, em Mafra, pelo returno da Copa Santa Catarina 2015. Placar final: 5 a 0 para o Araquari A equipe ADC Canoinhas jogou em Mafra, neste sábado, contra a equipe do Araquari Futsal pela Copa Santa Catarina. Logo no início da ...

IFSC abre inscrições para 34 cursos gratuitos em 14 cidades do estado O Instituto Federal de Santa Catarina (IFSC) abriu inscrições para 957 vagas em ... As vagas são para as cidades de Araranguá, Canoinhas, Criciúma, Garopaba, Gaspar, Itajaí, Jaraguá do Sul, Palhoça, Rio Rufino, São Carlos, São José, São ...

Geografia em SC é tema de livro lançado em Canoinhas Hoje (27), às 19 horas, acontece o lançamento do livro Indicação Geográfica e Desenvolvimento Territorial: reflexões sobre o tema e potencialidades no Estado de Santa Catarina. O evento acontece no auditório do centro da Universidade do Contestado.

Estado começa a pagar por serviços ambientais O programa SC Rural vai assinar dia 31 de março, em Chapecó, e em 1º de abril, em Canoinhas, contratos com agricultores familiares que serão os primeiros beneficiários de Pagamentos por Serviços Ambientais (PSA). Selecionados pela Fundação do Meio ...





Siga-nos e receba notícias e assuntos de interesse das cidades

Morador de CANOINHAS: Como O COMUNISMO que o PT pretende implantar afeta você?

O projeto de implantar o comunismo no Brasil pode estar com os dias contados. Há mais de doze anos, o Partido dos Trabalhadores deu início ao que seria um longo período de permanência no poder. A meta seria implantar no país o regime ideológico que sempre sonharam: o comunismo.

Os sinais são bastante claros quanto à este objetivos. Desde que assumiram o poder, o partido vem promovendo o famigerado aparelhamento das estatais, órgãos e repartições públicas. O ardil perpetrado pelo PT contempla ainda o alinhamento ideológico com outros países comunistas, como China, Irâ

Durante este período, o partido tem seguido cada etapa da encardida cartilha vermelha, como aumentar sua influência nas universidades e escolas. Os métodos para cooptar professores e reitores vão desde pequenos agrados, tolerância com faltas, proteção de profissionais de baixa qualificação, entre outras garantias.

Na outra ponta, o partido organizou um forte esquema de desvio de recursos públicos. Com o dinheiro desviado, o PT conseguiu assegurar a simpatia dos líderes dos movimentos sociais, além de remunerar um verdadeiro exército de militantes.

Tudo parecia caminhar na direção certa. Enquanto assegurava a simpatia de servidores e funcionários públicos das estatais numa ponta, a adoção de programas sociais era aprimorada na outra. A identificação de pessoas vulneráveis, de baixo grau de instrução e renda permitiu a criação de verdadeiros programas de fidelidade ao partido.

Leia mais em DOMÍNIO DO FATO [26]




Campanha do governo para melhorar a cidade de CANOINHAS

Uma cidade resiliente é aquela que tem a capacidade de resistir, absorver e se recuperar de forma eficiente dos efeitos de um desastre e de maneira organizada prevenir que vidas e bens sejam perdidos.

O lançamento no Brasil da Campanha Construindo Cidades Resilientes: Minha Cidade está se Preparando, da Estratégia Internacional para a Redução de Desastres (EIRD), da Organização das Nações Unidas (ONU), é uma iniciativa da Secretaria Nacional de Defesa Civil (Sedec), do Ministério da Integração Nacional, e pretende sensibilizar governos e cidadãos para os benefícios de se reduzir os riscos por meio da implementação de 10 passos para construir cidades resilientes.

Conscientes de que o município é quem realiza a primeira resposta em situações de crises e emergências, é fundamental que os governos locais e a sociedade civil organizada unam esforços, integrem todos os setores da sociedade e desenvolvam soluções inovadoras que engajem suas cidades na redução das vulnerabilidades. Para isso, é necessário que o município se reconheça como público alvo e agente promotor e realizador da Campanha.

O objetivo da ação é aumentar o grau de consciência e compromisso em torno das práticas de desenvolvimento sustentável, como forma de diminuir as vulnerabilidades e propiciar o bem estar e segurança dos cidadãos.

A redução de riscos de desastres ajuda na diminuição da pobreza, favorece a geração de empregos e oportunidades comerciais, a igualdade social, ecossistemas mais equilibrados e ainda atua nas melhorias das políticas de saúde e de educação.

PARTICIPE

Como Cidade Modelo

Sua cidade já atingiu grandes conquistas em direção à resiliência? Sua gestão pública e seus cidadãos estão dispostos a integrar o portfõlio de cidades resilientes e mostrar boas práticas em pelo menos cinco dos dez passos da campanha? Como governante você está disposto a dar oportunidade para que outros governos locais aprendam com sua experiência? Torne-se uma Cidade Modelo e compartilhe seu sucesso com o mundo. As Cidades Modelo ganharão destaque na campanha, e certamente favorecerão investimentos internos e externos num futuro prõximo.

Como Cidade Resiliente

Se você é um gestor público que está iniciando o trabalho em redução de risco em seu município, investindo no planejamento e na gestão de risco local, assuma o compromisso de ampliar a resiliência e segurança frente a desastres e faça parte da campanha.

Se você integra um grupo comunitário, ONG ou membro de outra organização em seu município e deseja apoiar a campanha, comprometa-se como os objetivos da campanha trabalhando com o governo local para aumentar a resiliência a desastres em sua cidade.

Como Patrono de Cidade Modelo

Como representante de uma cidade resiliente você pode nomear um líder comunitário, prefeito, governador ou outra figura influente de sua localidade que esteja disposto a participar da campanha para encorajar e apoiar outros municípios.

Como Participar

Formulário de Inscrição - Cidades Participantes

10 PASSOS

A campanha propõe uma lista de passos essenciais para construção de cidades resilientes que podem ser implantados por prefeitos e gestores públicos locais. A lista origina-se das cinco prioridades do Marco de Ação de Hyogo, um instrumento chave para ações de redução de riscos de desastres. Alcançando todos, ou mesmo alguns dos dez passos, as cidades passarão a adotar uma postura resiliente. Estruture seu Conselho Municipal e, junto aos gestores públicos locais, participe agora mesmo da Campanha!

1. Estabeleça mecanismos de organização e coordenação de ações com base na participação de comunidades e sociedade civil organizada, por meio, por exemplo, do estabelecimento de alianças locais. Incentive que os diversos segmentos sociais compreendam seu papel na construção de cidades mais seguras com vistas à redução de riscos e preparação para situações de desastres.

2. Elabore documentos de orientação para redução do risco de desastres e ofereça incentivos aos moradores de áreas de risco: famílias de baixa renda, comunidades, comércio e setor público, para que invistam na redução dos riscos que enfrentam.

3. Mantenha informação atualizada sobre as ameaças e vulnerabilidades de sua cidade; conduza avaliações de risco e as utilize como base para os planos e processos decisõrios relativos ao desenvolvimento urbano. Garanta que os cidadãos de sua cidade tenham acesso à informação e aos planos para resiliência, criando espaço para discutir sobre os mesmos.

4. Invista e mantenha uma infraestrutura para redução de risco, com enfoque estrutural, como por exemplo, obras de drenagens para evitar inundações; e, conforme necessário invista em ações de adaptação às mudanças climáticas.

5. Avalie a segurança de todas as escolas e postos de saúde de sua cidade, e modernize-os se necessário.

6. Aplique e faça cumprir regulamentos sobre construção e princípios para planejamento do uso e ocupação do solo. Identifique áreas seguras para os cidadãos de baixa renda e, quando possível, modernize os assentamentos informais.

7. Invista na criação de programas educativos e de capacitação sobre a redução de riscos de desastres, tanto nas escolas como nas comunidades locais.

8. Proteja os ecossistemas e as zonas naturais para atenuar alagamentos, inundações, e outras ameaças às quais sua cidade seja vulnerável. Adapte-se às mudanças climáticas recorrendo a boas práticas de redução de risco.

9. Instale sistemas de alerta e desenvolva capacitações para gestão de emergências em sua cidade, realizando, com regularidade, simulados para preparação do público em geral, nos quais participem todos os habitantes.

10. Depois de qualquer desastre, vele para que as necessidades dos sobreviventes sejam atendidas e se concentrem nos esforços de reconstrução. Garanta o apoio necessário à população afetada e suas organizações comunitárias, incluindo a reconstrução de suas residências e seus meios de sustento.

Idéias para o alcance dos 10 passos

Convencer

Aumentar o grau de compromisso com a urbanização sustentável, a qual reduzirá o risco de desastres em todas as esferas governamentais e contribuirá para todos os níveis da tomada de decisões.

Como?

Ao organizar mesas redondas e promover diálogos sobre políticas entre as autoridades nacionais e locais em fõruns nacionais, regionais e internacionais, emcabezados por prefeitos, com o propõsito de obter "pactos" nacionais e locais de compromisso.

Estabelecer conexões

Estabelecer alianças de trabalho entre as autoridades locais e nacionais, junto com atores locais , os grupos da sociedade civil, o setor acedêmico e as organizações de especialistas.

Como?

Ao criar iniciativas duradouras de colaboração entre os diferentes atores em um marco de uma "Aliança de Governos Locais para a Redução do Risco de Desastres" e mediante plataformas e grupos regionais de trabalho.

Informar

Incrementar o grau de consciência sobre o risco de desastres urbanos e informar as pessoas sobre a maneira que os governos locais e cidadãos podem abordar o risco como parte do planejamento de desenvolvimento, a construção de escolas e hospitais mais seguros e o fortalecimento dos serviços que prestam os governos locais.

Como?

Ao organizar reuniões públicas, iniciar diálogos, promover simulados e outras atividades locais, levar a frente atividades de grande notoriedade e fazer participantes os meios de comunicação, comprometer-se com escolas e hospitais seguros (o sistema de compromisso em linha) e planejar outras atividades de sensibilização pública.

Aprender

Aumentar o grau de conhecimento e melhorar o acesso as ferramentas, a tecnología e oportunidades para o desenvolvimento de capacidades para os governos e atores locais

Como?

Ao desenvolver, em colaboração com pesquisadores, profissionais, centros de capacitação e cidades que servem como modelos exemplares, um "Marco de Hyogo" para as autoridades, mediante um processo de aprendizagem, capacitação, cooperação técnica e orientação de cidade a cidade sobre a forma de executar áreas específicas do MAH no âmbito local.

Medir o progresso

Comunicar o progresso e o êxito alcançado pelos governos locais na consecução dos Dez Passos para a Resiliência das Cidades

Como?

Ao formar parte da geração de informes globais sobre a execução do MAH e ao recompilar e compartir boas práticas e experiências. [31]



Acordo judicial prevê desocupação amigável de área ocupada pelo MST


o Ministério Público de Santa Catarina (MPSC) e o Judiciário na sala de audências das 1ª Vara Cível da Comarca de Canoinhas. O acordo, homologado pelo Juiz Agrário Juliano Serpa, prevê a desocupação do local até o dia 30 de setembro de 2015.



Diretoria do CSE apresenta meia que estava jogando no futebol paraibano


Revelado pelo Santa Cruz-PE, o atleta andamentou também por Treze-PB, Salgueiro-PE, Cabense-PE, Chã Grande-PE, Ypiranga-PE, Jaguar-PE e Canoinhas-SC. Em Alagoas, o meia já atuou com camisa do CEO no Estadual de 2014. Thiago é o sexto reforço do CSE para o ...
PM de Santa Catarina fecha prazo de inscrição em concurso com 658 vagas A Polícia Militar do Estado de Santa Catarina finaliza, nesta terça-feira ... A prova teórica deve acontecer nas localidades de Balneário Camboriú, Blumenau, Canoinhas, Chapecó, Criciúma, Florianópolis, Joaçaba, Joinville, Lages, Rio do Sul, São ...
Carga de crack é apreendida e três homens são presos em Canoinhas Três homens foram presos e cinco quilos de crack foram apreendidos em Canoinhas, no Planalto Norte catarinense, na madrugada desta segunda-feira. A ação faz parte de uma operação conjunta deflagrada pela Polícia Federal, Delegacia de Combate às ...
Espera por perícia médica chega a 103 dias no INSS de Joinville De acordo com o INSS, no ano passado foram recebidas 233 solicitaçõe s de agendamento por dia na regional de Joinville (que abrange também os municípios de Canoinhas ... “Joinville é a maior localidade de Santa Catarina e tem uma grande quantidade ...
Araquari Futsal ganha de goleada do ADC Canoinhas Jogo aconteceu neste sábado, em Mafra, pelo returno da Copa Santa Catarina 2015. Placar final: 5 a 0 para o Araquari A equipe ADC Canoinhas jogou em Mafra, neste sábado, contra a equipe do Araquari Futsal pela Copa Santa Catarina. Logo no início da ...

Campanha do governo para melhorar a cidade de CANOINHAS

Uma cidade resiliente é aquela que tem a capacidade de resistir, absorver e se recuperar de forma eficiente dos efeitos de um desastre e de maneira organizada prevenir que vidas e bens sejam perdidos.

O lançamento no Brasil da Campanha Construindo Cidades Resilientes: Minha Cidade está se Preparando, da Estratégia Internacional para a Redução de Desastres (EIRD), da Organização das Nações Unidas (ONU), é uma iniciativa da Secretaria Nacional de Defesa Civil (Sedec), do Ministério da Integração Nacional, e pretende sensibilizar governos e cidadãos para os benefícios de se reduzir os riscos por meio da implementação de 10 passos para construir cidades resilientes.

Conscientes de que o município é quem realiza a primeira resposta em situações de crises e emergências, é fundamental que os governos locais e a sociedade civil organizada unam esforços, integrem todos os setores da sociedade e desenvolvam soluções inovadoras que engajem suas cidades na redução das vulnerabilidades. Para isso, é necessário que o município se reconheça como público alvo e agente promotor e realizador da Campanha.

O objetivo da ação é aumentar o grau de consciência e compromisso em torno das práticas de desenvolvimento sustentável, como forma de diminuir as vulnerabilidades e propiciar o bem estar e segurança dos cidadãos.

A redução de riscos de desastres ajuda na diminuição da pobreza, favorece a geração de empregos e oportunidades comerciais, a igualdade social, ecossistemas mais equilibrados e ainda atua nas melhorias das políticas de saúde e de educação.

PARTICIPE

Como Cidade Modelo

Sua cidade já atingiu grandes conquistas em direção à resiliência? Sua gestão pública e seus cidadãos estão dispostos a integrar o portfõlio de cidades resilientes e mostrar boas práticas em pelo menos cinco dos dez passos da campanha? Como governante você está disposto a dar oportunidade para que outros governos locais aprendam com sua experiência? Torne-se uma Cidade Modelo e compartilhe seu sucesso com o mundo. As Cidades Modelo ganharão destaque na campanha, e certamente favorecerão investimentos internos e externos num futuro prõximo.

Como Cidade Resiliente

Se você é um gestor público que está iniciando o trabalho em redução de risco em seu município, investindo no planejamento e na gestão de risco local, assuma o compromisso de ampliar a resiliência e segurança frente a desastres e faça parte da campanha.

Se você integra um grupo comunitário, ONG ou membro de outra organização em seu município e deseja apoiar a campanha, comprometa-se como os objetivos da campanha trabalhando com o governo local para aumentar a resiliência a desastres em sua cidade.

Como Patrono de Cidade Modelo

Como representante de uma cidade resiliente você pode nomear um líder comunitário, prefeito, governador ou outra figura influente de sua localidade que esteja disposto a participar da campanha para encorajar e apoiar outros municípios.

Como Participar

Formulário de Inscrição - Cidades Participantes

10 PASSOS

A campanha propõe uma lista de passos essenciais para construção de cidades resilientes que podem ser implantados por prefeitos e gestores públicos locais. A lista origina-se das cinco prioridades do Marco de Ação de Hyogo, um instrumento chave para ações de redução de riscos de desastres. Alcançando todos, ou mesmo alguns dos dez passos, as cidades passarão a adotar uma postura resiliente. Estruture seu Conselho Municipal e, junto aos gestores públicos locais, participe agora mesmo da Campanha!

1. Estabeleça mecanismos de organização e coordenação de ações com base na participação de comunidades e sociedade civil organizada, por meio, por exemplo, do estabelecimento de alianças locais. Incentive que os diversos segmentos sociais compreendam seu papel na construção de cidades mais seguras com vistas à redução de riscos e preparação para situações de desastres.

2. Elabore documentos de orientação para redução do risco de desastres e ofereça incentivos aos moradores de áreas de risco: famílias de baixa renda, comunidades, comércio e setor público, para que invistam na redução dos riscos que enfrentam.

3. Mantenha informação atualizada sobre as ameaças e vulnerabilidades de sua cidade; conduza avaliações de risco e as utilize como base para os planos e processos decisõrios relativos ao desenvolvimento urbano. Garanta que os cidadãos de sua cidade tenham acesso à informação e aos planos para resiliência, criando espaço para discutir sobre os mesmos.

4. Invista e mantenha uma infraestrutura para redução de risco, com enfoque estrutural, como por exemplo, obras de drenagens para evitar inundações; e, conforme necessário invista em ações de adaptação às mudanças climáticas.

5. Avalie a segurança de todas as escolas e postos de saúde de sua cidade, e modernize-os se necessário.

6. Aplique e faça cumprir regulamentos sobre construção e princípios para planejamento do uso e ocupação do solo. Identifique áreas seguras para os cidadãos de baixa renda e, quando possível, modernize os assentamentos informais.

7. Invista na criação de programas educativos e de capacitação sobre a redução de riscos de desastres, tanto nas escolas como nas comunidades locais.

8. Proteja os ecossistemas e as zonas naturais para atenuar alagamentos, inundações, e outras ameaças às quais sua cidade seja vulnerável. Adapte-se às mudanças climáticas recorrendo a boas práticas de redução de risco.

9. Instale sistemas de alerta e desenvolva capacitações para gestão de emergências em sua cidade, realizando, com regularidade, simulados para preparação do público em geral, nos quais participem todos os habitantes.

10. Depois de qualquer desastre, vele para que as necessidades dos sobreviventes sejam atendidas e se concentrem nos esforços de reconstrução. Garanta o apoio necessário à população afetada e suas organizações comunitárias, incluindo a reconstrução de suas residências e seus meios de sustento.

Idéias para o alcance dos 10 passos

Convencer

Aumentar o grau de compromisso com a urbanização sustentável, a qual reduzirá o risco de desastres em todas as esferas governamentais e contribuirá para todos os níveis da tomada de decisões.

Como?

Ao organizar mesas redondas e promover diálogos sobre políticas entre as autoridades nacionais e locais em fõruns nacionais, regionais e internacionais, emcabezados por prefeitos, com o propõsito de obter "pactos" nacionais e locais de compromisso.

Estabelecer conexões

Estabelecer alianças de trabalho entre as autoridades locais e nacionais, junto com atores locais , os grupos da sociedade civil, o setor acedêmico e as organizações de especialistas.

Como?

Ao criar iniciativas duradouras de colaboração entre os diferentes atores em um marco de uma "Aliança de Governos Locais para a Redução do Risco de Desastres" e mediante plataformas e grupos regionais de trabalho.

Informar

Incrementar o grau de consciência sobre o risco de desastres urbanos e informar as pessoas sobre a maneira que os governos locais e cidadãos podem abordar o risco como parte do planejamento de desenvolvimento, a construção de escolas e hospitais mais seguros e o fortalecimento dos serviços que prestam os governos locais.

Como?

Ao organizar reuniões públicas, iniciar diálogos, promover simulados e outras atividades locais, levar a frente atividades de grande notoriedade e fazer participantes os meios de comunicação, comprometer-se com escolas e hospitais seguros (o sistema de compromisso em linha) e planejar outras atividades de sensibilização pública.

Aprender

Aumentar o grau de conhecimento e melhorar o acesso as ferramentas, a tecnología e oportunidades para o desenvolvimento de capacidades para os governos e atores locais

Como?

Ao desenvolver, em colaboração com pesquisadores, profissionais, centros de capacitação e cidades que servem como modelos exemplares, um "Marco de Hyogo" para as autoridades, mediante um processo de aprendizagem, capacitação, cooperação técnica e orientação de cidade a cidade sobre a forma de executar áreas específicas do MAH no âmbito local.

Medir o progresso

Comunicar o progresso e o êxito alcançado pelos governos locais na consecução dos Dez Passos para a Resiliência das Cidades

Como?

Ao formar parte da geração de informes globais sobre a execução do MAH e ao recompilar e compartir boas práticas e experiências. [31]


Como está o Mais Médicos em CANOINHAS ?

Criado em 2013, o Programa Mais Médicos ampliou à assistência na Atenção Básica fixando médicos nas regiões com carência de profissionais. Por meio da iniciativa, 14.462 mil médicos passaram a atender a população de 3.785 mil municípios, o equivalente a 68% dos municípios do país e os 34 Distritos Sanitários Indígenas (DSEIs). Cerca de 50 milhões de brasileiros são beneficiados.

No eixo de infraestrutura, o governo federal está investindo na expansão da rede de saúde. São R$ 5,6 bilhões para o financiamento de construções, ampliações e reformas de Unidades Básicas de Saúde (UBS) e R$ 1,9 bilhão para construções e ampliações de Unidades de Pronto Atendimento (UPAs). Das 26 mil UBS que tiveram recursos aprovados para construção ou melhoria, 20,6 mil (79,2%) estão em obras ou já foram concluídas. Em relação às UPAs, 363 já foram concluídas de um total de 943 propostas aprovadas.

Já as medidas relativas à expansão e reestruturação da formação médica no país, que compõem o terceiro eixo do programa, preveem a criação, até 2017, de 11,5 mil novas vagas de graduação em medicina e 12,4 mil vagas de residência médica para formação de especialistas até 2018 com o foco na valorização da Atenção Básica e outras áreas prioritárias para o SUS. Já foram autorizadas 4.460 novas vagas de graduação, sendo 1.343 em instituições públicas e 3.117 em instituições privadas, além da seleção de 39 municípios para criação de novos cursos. Em 2014, o governo federal autorizou 2.822 novas vagas de residência.

A abertura de novos cursos e vagas de graduação leva em conta a necessidade da população e a infraestrutura dos serviços – com isso, mais faculdades surgirão em localidades com escassez de profissionais, como no Nordeste e no Norte do país, e em cidades do interior de todas as regiões brasileiras.

[5]



*blogsbrasil.com - todos os direitos reservados. Selecionamos as principais notícias da cidade de CANOINHAS SC. Os acontecimentos políticos, acidentes de trânsito nas rodovias, fatos do centro, dos bairros e do interior. Pesquisamos também os jornais locais e as redes sociais, bem como o site da prefeitura. O trabalho jornalístico consiste em captação e tratamento escrito, oral, visual ou gráfico, da informação em qualquer uma de suas formas e variedades. O trabalho é normalmente dividido em quatro etapas distintas, cada qual com suas funções e particularidades: pauta, apuração, redação e edição.A pauta é a seleção dos assuntos que serão abordados. É a etapa de escolha sobre quais indícios ou sugestões devem ser considerados para a publicação final. A apuração é o processo de averiguar informação em estado bruto (dados, nomes, números etc.). A apuração é feita com documentos e pessoas que fornecem informações, chamadas de fontes. A interação de jornalistas com suas fontes envolve freqüentemente questões de confidencialidade.A redação é o tratamento das informações apuradas em forma de texto verbal. Pode resultar num texto para ser impresso (em jornais, revistas e sites) ou lido em voz alta (no rádio, na TV e no cinema). A edição é a finalização do material redigido em produto de comunicação, hierarquizando e coordenando o conteúdo de informações na forma final em que será apresentado. Muitas vezes, é a edição que confere sentido geral às informações coletadas nas etapas anteriores. No jornalismo impresso (jornais e revistas), a edição consiste em revisar e cortar textos de acordo com o espaço de impressão pré-definido. A diagramação é a disposição gráfica do conteúdo e faz parte da edição de impressos. No radiojornalismo, editar significa cortar e justapor trechos sonoros junto a textos de locução, o que no telejornalismo ganha o adicional da edição de imagens em movimento. Tags: Últimas Notícias, CANOINHAS SC, Cidade, Interior, Segunda, Terça, Quarta, Quinta, Sexta, Sábado, Domingo, Carro, Eleições, Crime, Estrada, Rodovia, Acesso, Greve, Eleições, Festa, Granizo, Chuva, Enchente,Aniversário, Prêmio, Mês, Fim de Semana, Hoje, Ontem, Anteontem, Hora, Pouco Tempo, Agora, Mulher, Homem, Família, Criança, Portal,Pessoas, Como saber, Site, Blog, Diário,Protesto,Inauguração, Cassação, Cassado, Show, Apresentação, Espetáculo, Fotos, Vídeos, Imagens, Previsão, Caminhão, Vítimas, Situação, Oposição, Eleições, Enquete, Votos, Apuração, Trânsito, Operação, PF, Delegacia, Praia, Localidade, Animais, Ver Fotos, NEWS LATEST LOCAL NEWSPAPPER.